Logotipo Oscal
Plataforma Sanofi de Cálcio
Só para residentes do Brasil

Pico de massa óssea

O pico de massa óssea é importante para a saúde dos nossos ossos,1 e compreender esse termo pode ajudar a entender melhor como podemos tornar nossa dieta mais adequada, acrescentando nela nutrientes fundamentais para o osso, como o cálcio1,2 e a vitamina D.2

Durante a infância e, especialmente, durante a adolescência, ocorre um processo chamado de aquisição de massa óssea, que nada mais é que a incorporação de minerais, como cálcio e fósforo, no osso.2 Com esse processo tornamos os ossos resistentes e prontos para exercer algumas de suas funções no corpo: proteção e sustentação.3 Em torno dos 20 anos, a aquisição de massa óssea chega a seu pico. A partir desse momento, não há mais aumento da quantidade de cálcio e fósforo nos ossos. Cerca de 90% de toda nossa massa óssea é adquirida até por volta de 20 anos de idade e temos que aproveitar essa fase para conseguir o máximo possível de massa óssea, atingindo o melhor do nosso potencial genético.1

A partir de 30 anos, entramos em uma fase estável, em que, se tudo estiver bem, não perdemos nem adquirimos massa óssea. Quando as mulheres chegam perto da menopausa, a massa óssea começa a diminuir. Nos anos seguintes à última menstruação, a diminuição de massa óssea fica bastante acentuada e as mulheres tornam-se mais vulneráveis à osteoporose. Se a massa óssea construída ao longo da vida for baixa ou se a diminuição desse período for muito acentuada, a fragilidade e as fraturas ósseas podem ocorrer.1

Um terço das mulheres com mais de 50 anos terá uma fratura em decorrência da osteoporose.4

É importante lembrar que alguns fatores de estilo de vida, como sedentarismo e tabagismo, podem ter efeito negativo tanto no pico de massa óssea como na fase estável e de diminuição da massa óssea.  Por outro lado, a ingestão de determinados nutrientes e a atividade física regular podem melhorar nossa aquisição e manutenção da massa óssea.1


Por isso, para ter uma boa saúde óssea, é importante manter a ingestão adequada de cálcio, os níveis de vitamina D dentro do normal e praticar atividade física, além de evitar hábitos como o tabagismo.2

Vale a pena verificar e reforçar seu consumo de cálcio, se necessário. A melhor fonte de cálcio são os leites e seus derivados, como queijos e iogurtes. Se a ingestão de cálcio for um problema para você, a suplementação pode ser uma alternativa.5 Converse com seu médico ou nutricionista.

 

Referências:

1. Osteoporosis: Peak Bone Mass in Women [homepage na Internet]. Bethesda (MD): NIH Osteoporosis and Related Bone Diseases – National Resource Center; [atualizada em 06/2015; acesso em 22/06/2018]. Disponível em: https://www.bones.nih.gov/health-info/bone/osteoporosis/bone-mass.

2. Calcium and Vitamin D are Essential for Bone Health [homepage na Internet]. Arlington (VA): National Osteoporosis Foundation; [acesso em 22/06/2018]. Disponível em: https://cdn.nof.org/wp-content/uploads/2016/04/Calcium-and-Vitamin-D-are-Essential-for-Bone-Health.pdf.

3. Introduction to the Skeletal System [homepage na Internet]. Bethesda (MD): National Cancer Institute; [acesso em 22/06/2018]. Disponível em: https://training.seer.cancer.gov/anatomy/skeletal/.

4. Sözen T, Özışık L, Başaran NÇ. An overview and management of osteoporosis. Eur J Rheumatol. 2017 Mar;4(1):46-56. 

5. Calcium [homepage na Internet]. Bethesda (MD): NIH Office of Dietary Supplements (ODS); [atualizada em 02/03/2018; acesso em 22/06/2018]. Disponível em: https://ods.od.nih.gov/factsheets/Calcium-HealthProfessional/.